quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Arranca-me o coração




“Viu então, ao virar-se, as três gaiolas. Erguiam-se ao fundo da sala, vazia de mobília. Eram precisamente da altura de um homem não muito alto. As grossas grades quadradas dissimulavam em parte o interior, mas havia qualquer coisa a mexer lá dentro. Tinham todas a sua caminha fofa, a sua cadeirinha e uma mesa baixa. Eram iluminadas por uma lâmpada eléctrica colocada do lado de fora. Aproximou-se, sempre à procura do martelo, e reparou numa cabeleira loira. Olhou com mais atenção, mas pouco à vontade, porque sentia que a senhora o estava a observar. Entretanto, já havia descoberto o martelo. Semicerrou os olhos, enquanto se baixava para o apanhar. E quando o seu olhar se cruzou com o deles, ficou a saber que havia outros meninos ali metidos nas gaiolas. Um deles pediu qualquer coisa e então a senhora abriu a porta e foi até ao pé dele, dizendo umas palavras que André não compreendia, mas que eram de tal modo meigas.
(…)
Desceu os degraus de pedra. Ia-lhe pela cabeça um turbilhão de ideias. E ao chegar ao grande portão doirado, virou-se para trás pela última vez. Devia ser maravilhoso estarem assim todos juntinhos, com uma pessoa para os acarinhar, assim dentro daquela gaiolinha tão quente, tão cheia de amor.”



Boris Vian, O Arranca-Corações

5 comentários:

THE SCHUMAN PROJECT disse...

ANDAVA Á PROCURA DESTA OBRA DOVIAN.DEPOIS DE TER LIDO O OUTONO E ESTAR AGORA A LER A ESPUMA.TB SOU COMPULSIVO DE BOA LEITURA.

THE SCHUMAN PROJECT disse...

ROBOT ?NÃO ROUBEI NADA.

THE SCHUMAN PROJECT disse...

TENHO PRAZER EM VISITAR DE NOVO O SEU BLOG.VALE A PENA.

THE SCHUMAN PROJECT disse...

TENHO PRAZER EM VISITAR DE NOVO O SEU BLOG.VALE A PENA.

ouroboros disse...

eis ele finalmente, o meu livro predilecto, patafisica para a cabeça!!!!!!!!!